Comprar imóvel à vista ou financiar?

Tempo de leitura: 6 minutos

Comprar imóvel envolve diversas questões. Além das características que a propriedade deve ter e as prioridades que o comprador considera, deve-se pensar na forma de pagamento.Quem quer comprar à vista tem a possibilidade de negociar e conseguir um desconto, por outro lado terá que fazer um alto investimento. Nesse caso, então, não seria melhor usar apenas parte do dinheiro para a entrada e financiar o resto? Neste artigo vamos te ajudar a decidir se é melhor comprar imóvel à vista ou financiar. Confira!

Comprar imóvel à vista ou financiar? Veja como avaliar a melhor alternativa

Investimento inicial

Tanto para quem vai comprar imóvel à vista ou financiado, saber exatamente qual o valor do investimento que será necessário é fundamental. Alguns compradores investem em aplicações por anos e podem usar o dinheiro para dar uma entrada ou até para pagar à vista.

Outra situação é a de quem já tem um imóvel. Esse tipo de comprador pode contar com a sua propriedade  os investimentos que têm para chegar ao valor que pretende pagar. Mesmo que o objetivo seja financiar, o interessado terá que desembolsar pelo menos 20% do valor da propriedade.

Necessidade

Nesse ponto, alguns fatores podem influenciar. O tipo de uso do imóvel, por exemplo, é um deles. A compra de um imóvel comercial tem implicações diferentes da compra de um imóvel residencial.

Quando há um sócio envolvido na negociação, a compra pode ser mais fácil, pois cada um entra com uma parte do investimento. Ou no caso do financiamento, as parcelas serão divididas.

Há também quem pretende comprar um imóvel para morar, mas não tem tanta urgência. Nesse caso, a aplicação é uma alternativa para começar a fazer uma reserva de dinheiro.

O interessado também pode buscar um imóvel na planta. Diversas incorporadoras permitem que o valor da entrada seja parcelado até a entrega das chaves. Além de começar a economizar com o valor que será pago e com as despesas de contrato, escritura, etc.

Objetivo

Assim como a necessidade de uso do imóvel vai influenciar em como ele será negociado, o objetivo também. O que difere um do outro é que o objetivo não é algo que o interessado precisa, nesse caso é possível avaliar melhor a situação.

Algumas pessoas compram o imóvel com objetivo de investimento, porém é importante levar em consideração que é mais difícil e demorado ter um retorno desse tipo de negociação.

Um imóvel comprado com objetivo de revenda, por exemplo, pode demorar anos para encontrar um novo comprador. Da mesma forma, que o imóvel comprado com objetivo de locação também pode demorar para ser alugado.

Caso isso tenha sido avaliado e o comprador ainda tenha interesse em comprar imóvel, o recomendado é fazer a transação à vista. Pois além de não adquirir uma dívida, a propriedade não sairá por um valor muito superior ao original no final de um financiamento.

Taxas de juros

Algumas pessoas não podem ouvir falar em juros. Pagam suas contas de forma regrada e antecipada para não correr o risco de ter uma despesa maior do que a esperada. O financiamento pode ser um pesadelo para quem tem esse perfil.

A compra de um imóvel financiado facilita o pagamento, nesses casos, mas não é nem de longe a mais econômica. Muito pelo contrário. Claro que, para quem não tem o valor total do imóvel e tem urgência, é uma solução.

Porém, além do período de pagamento ser muito longo, normalmente 20 ou 30 anos, no final o valor pago pode ser até o triplo do original.

Reservas

A decisão de comprar imóvel à vista deve considerar se o valor investido não fará falta para o comprador no futuro. Algumas pessoas preferem entrar em um financiamento, mesmo tendo o valor para pagar à vista. Isso porque em diversos casos aquele valor é a única reserva do comprador.

Com isso, há o risco de investir todo o dinheiro no imóvel e no futuro ficar sem nenhuma reserva em caso de uma emergência. Além disso, muitos compradores guardam o dinheiro para uma reforma, decoração, mobiliar a casa, investir em equipamentos e eletrodomésticos.

Os especialistas recomendam que, ao comprar um imóvel, o proprietário tenha pelo menos uma reserva de no mínimo seis meses a um ano de suas despesas para casos de emergência.

Crédito

Antes de decidir que irá financiar o imóvel, o comprador deve consultar seu banco para entender quanto lhe será concedido de crédito. A compra de um imóvel é uma negociação de alto valor e nem todos os clientes têm crédito liberado em seus bancos.

Ou até têm, mas não exatamente o valor que precisam. Os bancos estão cada vez mais restritivos no que diz respeito à concessão de crédito.

Orçamento

Faça uma estimativa de quanto será necessário gastar nos primeiros meses ou até anos depois da aquisição de um imóvel. Em diversos casos, o comprador que faz a compra à vista acredita que depois de pegar as chaves do imóvel não terá mais despesas. Isso é um erro.

Depois de comprar imóvel é natural que o novo proprietário queira fazer intervenções, ajustes, decorar e deixar o local com a sua cara. Por isso, é comum que acabe gastando mais do que o esperado.

Ao comprar imóvel por meio de um financiamento o cuidado deve ser ainda maior. Afinal uma nova dívida foi contraída e por uns bons anos aquelas parcelas farão parte do orçamento da casa.

Calcule todas essas despesas, coloque-as na ponta do lápis, sempre considerando um valor acima e quanto será necessário manter de reserva, dessa forma ficará mais claro qual caminho seguir: comprar imóvel à vista ou financiado.

Contar com um especialista durante esse período será fundamental para te orientar e solucionar todas as suas dúvidas. A BH Brokers tem uma equipe de profissionais especializados que pode te prestar toda a consultoria imobiliária necessária. Entre em contato e solicite um atendimento.

Continue acompanhando os conteúdos do blog e não perca nenhuma novidade, assine a newsletter e seja notificado sempre que um novo conteúdo for postado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *